A Câmara Escura

Uma imagem (todas captadas pelas minhas lentes), algumas palavras (nem todas vindas da minha cabeça)... E nada mais. Acredito eu.

Permalink Havia uma pedra no meio do meu caminho. Uma não, muitas. E eu, pra variar, tropecei em todas elas. 
Mesmo de joelhos ralados, aprendi a me levantar e seguir em frente, num caminho que nunca se sabe onde vai terminar. 
Esta é a graça de caminhar sozinha.
Permalink O grilo camuflado. Um clandestino no lugar que, originalmente, não é pra ele.Surpresas do jardim num domingo de manhã. Sinal de que, muitas vezes, vale a pena acordar cedo.
Permalink Tem gente que gosta de se adiantar. Gente que prefere andar devagar. 
E há quem viva fugindo.
E eu vivo observando o ritmo dos outros, para aprender e aperfeiçoar os meus passos. Seguindo a melhor rota e encontrando amigos de caminhada, sem atravessar ou destruir o caminho dos outros.
Permalink Buscar a liberdade sempre me pareceu muito atraente. E eu aprendi, na marra, que o grande problema de querer ir mais longe e mais alto é não saber de que maneira você procura alçar seus voos.
Planejado ou de última hora, você precisa ter em mente que seu voo precisa chegar a algum lugar - mesmo sem nem imaginar qual será o destino final. Quanto mais confortável você estiver para aceitar o seu percurso e os desafios da jornada, melhor você se sai.
Dá um frio na barriga, há alguns períodos de turbulência, mas vale a pena sentir o vento no rosto voando “sem destino”. E a vista lá do alto sempre é linda! :)
Permalink Amadurecer é tão relativo. Para alguns, é não sair do programado, do planejado. para outros, é atingir o inalcançável.O que seria melhor: chegar ao céu ou ter os pés bem firmes no chão?
Pra mim, é bem mais do que esta dicotomia. Amadurecer, quem sabe, é saber estabelecer seus próprios limites. Nem tanto como Ícaro, que quis alcançar o sol com as próprias mãos, nem tanto uma raiz que se agarra com força à terra.
Mesmo admirando a força de uma sequoia, o céu pra mim também é tão atraente…O desafio está em buscar o equilíbrio. Afinal, por que não um meio termo?